Translate

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

O Labirinto, Teseu e o Minotauro

magia no dia a dia
obra de Maestro dei Cassoni Campana

Na mitologia grega, o labirinto era um grande palácio construído na ilha de Creta por Dédalo a mando do rei Minos para abrigar o Minotauro (criatura monstruosa com corpo de homem e cabeça de touro). De tempos em tempos, os atenienses deviam pagar um tributo ao rei de Creta, o qual consistia num certo número de rapazes e moças virgens. Esses jovens eram levados a Creta, e, após um período de preparação, colocados no interior do labirinto, de onde não conseguiam sair, e acabavam nas mãos do Minotauro, que os sacrificava. 

É justamente um herói ateniense, Teseu, quem consegue matar o monstro em combate e escapar do labirinto. Foi pra isso ajudado por Ariadne, princesa filha do rei Minos, que lhe presenteia um novelo de linha na entrada do labirinto. Ao caminhar pelos corredores emaranhados desse palácio, ele vai desenrolando o novelo, de maneira que, após o combate, consegue achar a saída seguindo de volta o fio. 

O mito de Teseu e o Minotauro já tem, em si, notável conteúdo simbólico. Teseu é emblema do herói que busca a si mesmo. O Minotauro simboliza as forças obscuras do seu inconsciente, que devem ser combatidas e vencidas. Os corredores do labirinto tortuoso são interpretados como representações dos vícios, paixões e qualidades negativas que devem ser conhecidas e superadas. E Ariadne, por fim, simboliza a força e a inteligência do instinto e da intuição, atributos sem os quais será impossível vencer o grande desafio. 

Por outro lado, os labirintos, que são estruturas desenhadas ou de arquitetura, aparecem em quase todas as épocas e civilizações, desde os tempos pré-históricos. Todos os labirintos apresentam dois pontos em comum: um centro e, ao seu redor, uma estrutura de acesso muito complicada, feita de caminhos tortuosos, muitas vezes bloqueados, pensados de maneira a dificultar ao máximo a chegada ao centro. 

O significado simbólico dos labirintos é de tipo universal ou arquetípico: o centro representa a consciência superior, a realidade absoluta, a imortalidade, a divindade; os caminhos tortuosos que vedam quase completamente o seu acesso simbolizam as provas e dificuldades pelas quais deve passar todo aquele que pretende chegar até o “centro de si mesmo”, ou seja, a consciência superior. 

O simbolismo do labirinto está ligado ao simbolismo da espiral. Nesse sentido, o centro, ou ponto inicial interno da espiral, representa o princípio único, imóvel. As curvas da espiral simbolizam o universo manifestado em constante movimento.


Fonte:  Dicionário de Símbolos Esotéricos, de Luis Pellegrini.


    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...